Brasil
Acesso à Informação

Revista Fitos lança perfis em 5 redes sociais para ampliar visibilidade e dados altmétricos

28/11/2019

O periódico agora tem perfis no Twitter, Facebook, LinkedIn e Instagram, além de um grupo aberto no WhatsApp

Por Eugênio Telles (Revista Fitos)

A rapidez na circulação de informações e a grande base de usuários das redes sociais coloca essas plataformas como ferramentas estratégicas para uma comunicação ágil. Para uma revista científica, marcar presença nas redes sociais é contribuir para dialogar com diferentes públicos e popularizar a ciência, ampliando a visibilidade da produção científica para além dos pares, especialistas e nichos de público do periódico.

O escritório editorial da Revista Fitos lançou, em 17 de outubro, o seu próprio blog que servirá como ponto de convergência dos perfis sociais. Neste espaço virtual, serão publicados comunicados editoriais, notícias sobre o ambiente científico em que a revista se encontra (notícias) e informações sobre o alcance obtido pelo periódico (métricas). Todo o conteúdo gerado para o blog será adaptado e compartilhado nos novos perfis sociais, onde a equipe editorial poderá interagir mais rapidamente com seus seguidores e avaliar a popularização de suas publicações.

Como parte da estratégia de divulgação científica da Fitos, os resumos de artigos publicados como “Ahead of Print” serão também publicados no blog e compartilhado nos perfis sociais da revista. Resumos de outros artigos que tenham citado trabalhos da Fitos também serão publicados no blog (citações). A expectativa é de que a visibilidade dada a outros trabalhos torne-se um atrativo para captação de novos artigos para as áreas de publicação da Fitos.

A revista Fitos utiliza ainda uma ferramenta de email marketing para envio de informativo à sua base de usuários (autores, avaliadores, editores e leitores).

Critérios de escolha das redes sociais

As redes que agora possuem um canal de comunicação com a revista Fitos foram escolhidas a partir do tamanho de suas bases de usuários e pelas características específicas de suas plataformas. O Facebook, por exemplo, é a principal rede social no mundo, com 2,27 bilhões de usuários ativos, e é a segunda rede social favorita entre os brasileiros, com 130 milhões de usuários ativos, atrás apenas do YouTube e logo à frente do WhatsApp. Além de seu tamanho, o Facebook tem como característica de suas publicações a possibilidade de se compartilhar link, tornando-se, assim, um importante canal de origem de tráfego para o site da revista. Assim como o Facebook, o LinkedIn também permite o compartilhamento de links, é uma rede de nicho voltada para profissionais do mercado de trabalho e conta com 35 milhões de usuários ativos.

O WhatsApp é o principal app de mensagens instantâneas no Brasil e no mundo e uma das formas de comunicação mais ágeis de nosso tempo. Para este serviço, a Fitos criou um grupo público onde qualquer pessoa pode ingressar através de um link. O envio de mensagens neste canal fica restrito aos administrados do grupo, todos membros do escritório editorial da revista, para chamadas de publicação e veiculação de informações.

O Twitter é apenas o 8º colocado no ranking de usuários ativos das redes sociais mais utilizadas no Brasil, mas desempenha um papel fundamental no ambiente comunicacional do país. Veículos de comunicação, empresas, jornalistas, pesquisadores e um vasto grupo de formadores de opinião repercutem informações veiculadas nos principais canais de comunicação do país. A rede conta com 8,57 milhões de usuários ativos no Brasil.

O Instagram é a terceira maior rede social em número de usuários ativos, com 69 milhões, e gera 15 vezes mais interações que outras redes sociais. Apesar de não ser possível compartilhar links nas publicações, o potencial de visibilidade a uma geração de novos cientistas e casos bem-sucedidos como o @ufmgpesquisa, @scientistsselfies e @itslikepudding (entenda aqui) nos encorajam a buscar formas de comunicação da ciência nesses canais.

Os números apresentados nesta matéria foram obtidos no relatório digital global de 2019 produzido pela We Are Social.

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.