agario - yohoho - agario -yohoho.io unblocked agario unblocked

Brasil
Acesso à Informação

Identificação do novo coronavírus

23/03/2020

O vice-diretor de Serviços Clínicos do INI/Fiocruz, Estevão Portela Nunes, fala sobre COVID-19 e
formas de enfrentar epidemias e pandemias


Em tempos de pandemia, aumenta a importância de divulgar informações de qualidade em saúde. Em uma série de vídeos, o pesquisador Estevão Portela Nunes trata da identificação do novo coronavírus (SARS-CoV-2), do plano de contenção inicial da doença COVID-19, dos riscos para profissionais de saúde e de formas para enfrentar a emergência. Estevão é vice-diretor de Serviços Clínicos do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz). O Portal de Periódicos Fiocruz destaca um dos vídeos, mas é possível acessar todos aqui.

Relatório apresenta estimativa de infecção pelo coronavírus no Brasil

Neste cenário, destacamos também o relatório Estimativa de risco de espalhamento da COVID-19 no Brasil e o impacto no sistema de saúde e população por microrregião, produzido por pesquisadores do Núcleo de Métodos Analíticos para Vigilância em Saúde Pública (Procc/Fiocruz) e da Escola de Matemática Aplicada (EMAp/FGV). Com base em modelos matemáticos de previsão, eles estimaram o risco de disseminação da epidemia da COVID-19 no Brasil. O estudo analisa o risco de epidemias nas microrregiões brasileiras a partir da exportação de casos dos dois maiores centros urbanos do país, Rio de Janeiro e São Paulo. As duas cidades já possuem transmissão sustentada da doença e devem se tornar o principal foco de disseminação a partir de agora. Acesse aqui o artigo, em preprint, que foi publicado pela revista MedRxiv.

A estimativa prevê que além dos centros urbanos das regiões Sul e Sudeste, Recife e Salvador devem enfrentar a situação mais difícil, com grande potencial de acumular casos graves no curto prazo. Além da conectividade aérea, o estudo levou em conta o percentual de população de risco, acima de 60 e acima de 80 anos, elevado nessas regiões. Microrregiões no interior dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo também devem apresentar surtos em breve, devido à mobilidade pendular com suas capitais.

O relatório identifica que São Paulo apresenta maior potencial de rápida dispersão para os demais estados, por centralizar a malha aérea do país. Com a crescente suspensão de voos e o fechamento de fronteiras pelos países mais afetados e o potencial aumento de controle sanitário em relação aos passageiros de voos internacionais, o número de casos importados internacionalmente tende a diminuir sua relevância frente aos casos decorrentes de transmissão comunitária sustentada. Marcelo Gomes, pesquisador da Fiocruz e coordenador do estudo, explica que o cálculo de probabilidade foi criado considerando a subnotificação dos casos, como observado em outros países, e o tempo de duração da infecção por paciente de oito dias. "Com isso, é possível que nossos resultados comecem a ser observados em uma ou duas semanas. Mas é claro que tudo vai depender das medidas tomadas para a contenção do vírus”.

Acesse a matéria completa no Portal Fiocruz. Leia também o Plano de Contingência da Fiocruz.

Aprendendo com outras pandemias: em 2009, editorial da revista CSP alertava para risco de pandemia de H1N1

Em editorial publicado em 2009, a revista Cadernos de Saúde Pública abordava um possível risco de pandemia de influenza pelo vírus A (H1N1). Segundo o texto, em 24 de abril de 2009, a Organização Mundial da Saúde (OMS) comunicou a todos os países a ocorrência de uma emergência de saúde pública de importância internacional causada pelo então novo vírus. O seu início possivelmente estaria associado a uma epidemia de doença respiratória febril, que acometeu o México um mês antes. Após um mês desse comunicado, mais de 40 países, incluindo o Brasil, apresentavam casos confirmados, havendo também registro de transmissão autóctone fora da América do Norte. Esta situação fez com que a OMS elevasse o nível de alerta pandêmico para o nível 5. Leia o editorial na íntegra.

Instituição: 
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Autoria: 
Vídeo: Proqualis
Texto: Portal de Periódicos Fiocruz, com informações de Júlia Dias (Agência Fiocruz de Notícias)

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.