Brasil
Acesso à Informação

Biomphalaria Tenagophila Guaibensis ssp. n. from Southern Brazil and Uruguay (pulmonata: Planorbidae). I. Morphology

Summary

A new subspecies of planorbid snail, biomphalaria tenagophila guaibensis, is described. It has been found along the coastal belt of the Brazilian state of rio grande do Sul and the middle part of Uruguay, from Porto Alegre to Mercedes. It differs from the nominate subspecies, Biomphalaria tenagophila tenagophila, in the appearance of the penial complex (prepuce longer and proportionally slenderer in B. t. guaibensis, shorter and proportionally stouter in b. t. tenagophila), in the ratio between the lengths of the penial sheath and the prepuce, in the ratio between the lengths of the uterine complex and the penial complex, and in a coefficient of difference of 2.44 for the ratio between the penis sheath and prepuce and of 2.02 for the ratio between the uterine complex and penial complex. The shell and the other organs of the genital system are similar in both subspecies. B. t. guaibensis is very similar to Biomphalaria occidentalis Paraense, 1981, but is readily separated from it by the presence of a vaginal pouch, which is lacking in the latter, besides showing highly significant difference in the penis sheath: prepuce and uterine complex: penial complex ratios. Crossbreeding experiments which lend additional support to the recognition of B. t. guaibensis as a subspecies will be reported elsewhere.

Sumário

É descrita uma nova subespécie de molusco planorbídeo, Biomphalaria tenagophila guaibensis, que tem sido encontrada ao longo da faixa costeira do Estado do Rio Grande do Sul e da parte média do Uruguai, de Porto Alegre a Mercedes. Distingue-se da espécie nominativa, Biomphalaria tenagophila tenagophila, pelo aspecto do complexo peniano (prepúcio mais longo e proporcionalmente mais delgado em B. t. guaibensis, mais curto e proporcionalmente mais grosso em b. t. tenagophila0, pela razão entre os comprimentos da bainha do pênis e do prepúcio, pela razão entre os comprimentos do complexo uterino e do complexo peniano, e por um coeficiente de diferença de 2.44 para a razão entre a bainha do pênis e o prepúcio e de 2.02 para a razão entre o complexo uterino e o complexo peniano. A concha e os outros órgãos do sistema genital são semelhantes nas duas subespécies. A B. t guaibensis tem grande semelhança com a Biomphalaria occidentalis Paraense, 1981, mas dela se distingue facilmente pela presença de uma bolsa vaginal, que falta na B. occidentalis, além de apresentar diferença altamente significante nas razões bainha do pênis: prepúcio e complexo uterino: complexo peniano. Experiências de cruzamento que trazem apoio adicional ao reconhecimento da B. t. guaibensis como subespécie serão relatadas em outra publicação.

Artigos relacionados