Brasil
Acesso à Informação

POLÍTICA DE DESPRECARIZAÇÃO DO TRABALHO EM SAÚDE EM UMA INSTITUIÇÃO FEDERAL DE C&T: A EXPERIÊNCIA DE PROFESSORES E PESQUISADORES

Summary

Abstract The main objective of this article is to analyse the bettermen of work's policy at a work's local scope through the professors and researchers' perspective. To this end, we have chosen a qualitative study, and a scientific-technical health unit located in the State of Rio de Janeiro was elected such as a research field. For data collection, information was gathered through ten individual semi-structured interviews. Analysis of data was done through discourse analysis and five main empirical categories of analysis were found: precariousness of the human relations; transition to the institutional management model; professors and researchers' labor intensification; pleasure-suffering experiences at work; and, lastly, the bettermen of the work. In addition, we also adopted such as object of study a policy implemented by Brazilian federal government, whose name is DesprecarizaSUS. The results show that the bettermen of work's policy must reach a range of political actions, which are not restricted to the administrative level. In according to the professors and researchers' perspective it is essential to establish the conditions to overcome the deterioration of human relations at work generated by the neoliberal context of public administration.

Sumário

Resumo Este estudo teve como principal objetivo analisar a política de desprecarização do trabalho em saúde, em âmbito local, do ponto de vista de professores e pesquisadores. Para tal, efetuou-se um estudo de caráter qualitativo, elegendo-se como campo de investigação uma unidade técnico-científica de saúde localizada no estado do Rio de Janeiro. Para a coleta de dados, realizaram-se entrevistas individuais com dez participantes. No que concerne à análise dos materiais de campo, lançou-se mão da técnica de análise do discurso, chegando-se a cinco categorias empíricas principais de análise: precarização das relações humanas; transição do modelo de gestão institucional; intensificação do trabalho do professor e pesquisador; sofrimento e prazer no trabalho; e desprecarização do trabalho. Além disso, adotou-se como objeto de análise a política implementada pelo governo federal denominada DesprecarizaSUS. Os resultados mostraram que, do ângulo de interpretação do trabalho, a política de desprecarização deve alcançar um conjunto de ações políticas que não estão circunscritas apenas à esfera jurídica. A de maior relevância é a instituição, no plano local, de condições propícias para se superar a deterioração das relações humanas no trabalho geradas no âmbito do contexto neoliberal de gestão pública.

Resumen

Resumen Este estudio tuvo como principal objetivo analizar la política de desprecarización del trabajo en salud, en el ámbito local, desde el punto de vista de profesores e investigadores. Con ese fin, se realizó un estudio de carácter cualitativo, eligiendo como campo de investigación una unidad técnica y científica de salud, ubicada en el estado de Río de Janeiro, Brasil. Para la recolección de datos se realizaron entrevistas individuales con diez participantes. En lo que concierne al análisis de los materiales de campo, se utilizó la técnica de análisis del discurso, llegándose a cinco categorías empíricas principales de análisis: precarización de las relaciones humanas; transición del modelo de gestión institucional; intensificación del trabajo del profesor e investigador; sufrimiento y placer en el trabajo; desprecarización del trabajo. Además de ello, se adoptó como objeto de análisis la política implementada por el gobierno federal denominada DesprecarizaSUS. Los resultados mostraron que, del ángulo de interpretación del trabajo, la política de desprecarización debe alcanzar un conjunto de acciones políticas que no se circunscriben apenas a la esfera jurídica, siendo la de mayor relevancia la institución, en el plano local, de condiciones propicias para superar el deterioro de las relaciones humanas en el trabajo generadas en el ámbito del contexto neoliberal de gestión pública.

Artigos relacionados