Brasil
Acesso à Informação

Vacina contra Chagas: estudo avalia a importância de proteína para a doença

14/05/2019

Proteína recombinante P21 é objeto do trabalho de pesquisadores brasileiros e argentinos, publicado na revista Memórias do Instituto Oswaldo Cruz

Por Portal de Periódicos Fiocruz (com informações de Memórias do IOC)

 

O estudo da proteína P21 e sua importância na doença de Chagas mobilizou pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e da Universidad Nacional de Salta, na Argentina. Este é o tema de artigo publicado na edição de abril da revista científica Memórias do Instituto Oswaldo Cruz. Segundo os autores da pesquisa, os resultados indicam que a rP21 pode ter capacidade adjuvante capaz de modificar o perfil imunológico de citocinas causado por parasitas atenuados. Acesse o artigo.

Essa proteína é secretada e está envolvida, principalmente, na invasão celular e na modulação da resposta imune do hospedeiro, embora seu papel ainda não esteja totalmente elucidado. Os grupos dedicaram-se ao estudo da P21 recombinante (rP21) e obtiveram resultados importantes. 

Vacinas para doenças parasitárias

Vale lembrar que, para muitas doenças parasitárias, as vacinas poderiam superar a falta de tratamento quimioterápico eficiente ou com eficácia limitada. Houve avanço relacionado ao desenvolvimento de vacinas para algumas das doenças parasitárias, mas para Chagas, assim como outras doenças negligenciadas, o progresso não foi tão encorajador.

No entanto, na última década, é crescente o número de evidências que sugere uma vacina contra o Trypanosoma cruzi poderia se tornar viável e razoável em termos de valores econômicos e esse campo tem sido explorado por diversos pesquisadores.

Prevalência da Doença de Chagas no Brasil

Para aprofundar o tema, o Portal de Periódicos Fiocruz recomenda também a leitura do artigo Prevalência da doença de Chagas entre doadores de sangue do Estado do Piauí, Brasil, no período de 2004 a 2013, publicado no ano passado pelos Cadernos de Saúde Pública. Apesar do declínio na prevalência da doença no Brasil, a região Nordeste apresenta condições propícias ao seu recrudescimento. O objetivo da pesquisa foi analisar a presença entre doadores de sangue do Piauí entre 2004 e 2013. Dentre os 220 municípios avaliados, 58,6% apresentaram casos. 

Acesse o estudo na área de artigo relacionado (bem aqui ao lado desta matéria). Leia também os outros conteúdos que o Portal sugere, sempre ao fim de cada notícia.

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.