Brasil
Acesso à Informação

Suplemento dos Cadernos de Saúde Pública reúne desafios e experiências na política de controle do tabaco

É a primeira vez que um periódico científico nacional publica um especial sobre este tema

05/10/2017
Por Informe Ensp/Fiocruz
 

Nesta sexta-feira (6/10), às 9h, o Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Ensp/Fiocruz) lança, com apoio da American Cancer Society e do Programa Inova-Ensp, o suplemento A política de controle do tabaco no Brasil: avanços e desafios, da revista Cadernos de Saúde Pública (vol. 33, supl. 3). A publicação especial traz 18 artigos, inéditos, de autores nacionais e internacionais, sobre os avanços das políticas de controle do tabagismo após a ratificação da Convenção-Quadro para o controle do tabaco da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2005, e os obstáculos criados pela interferência da cadeia produtiva controlada por empresas transnacionais. O tabagismo é uma das principais causas evitáveis de mortes precoces e de desigualdade em saúde no mundo. No Brasil, estima-se que 156.200 pessoas morram, a cada ano, devido a doenças associadas ao fumo. 

O conjunto de artigos esmiúça a Política Nacional de Controle do Tabaco (PNCT) e a magnitude do tabagismo como problema de saúde pública do Brasil. Os textos destacam a importância do Artigo 5.3 da CQCT/OMS a respeito da proteção de políticas públicas de saúde contra os interesses comerciais e outros interesses da indústria do tabaco, sistematizando os conhecimentos recentes sobre os caminhos, acertos e obstáculos à condução da política considerada, mundialmente, um exemplo de sucesso. Segundo a coordenadora do Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab), a PNCT representa um paradigma da intersetorialidade de um modelo efetivo que salva vidas e agrega inúmeras ações. "A adequação dessas medidas pode ser avaliada pela redução relativa de quase 56% e 59% na prevalência de tabagismo, respectivamente, entre homens e mulheres de 18 anos ou mais no período de 1989 a 2013 e pela tendência nas estimativas do porcentual de fumantes. Nós, do Cetab, entendemos que era importante produzir um periódico que agregasse estudos relativos a essa política do ponto de vista cientifico, uma vez que, no âmbito da Fiocruz, temos a missão de gerar conhecimento para subsidiar a PNCT”. 


Tabagismo no Brasil e no mundo

Desde 2005, o Brasil é Estado Parte da Convenção-Quadro para o controle do tabaco da OMS e a medida resultou em significativa redução da prevalência de fumantes e da morbimortalidade tabaco-relacionada. Entretanto, o custo total - ainda subestimado - devido ao consumo de produtos derivados do tabaco no país é de quase R$ 57 bilhões anuais, dos quais R$ 39,3 bilhões são por assistência médica e tratamento e 17,5 bilhões por perda de produtividade. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, em 2013, 15% da população brasileira de 18 anos ou mais, 22 milhões de indivíduos, eram fumantes. Já a Organização Mundial da Saúde estima que, em 2020, o número de mortes causadas pelo fumo será de 7,5 milhões.

No editorial, assinado pelos pesquisadores Valeska Carvalho Figueiredo, Silvana Rubano Turci e Luiz Antônio Bastos Camacho, destaca-se o fortalecimento de ações integradas para enfrentar grandes problemas de saúde, como a inclusão do tema na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. “A produção e consumo de produtos derivados do tabaco está relacionada a vários objetivos da Agenda 2030, ressaltando-se os que se referem à redução da pobreza e fome, uma vez que o tabagismo é uma das principais causas de desigualdade em saúde no mundo. No Brasil, o porcentual de fumantes entre pessoas com escolaridade até o ensino fundamental é mais do que o dobro do porcentual entre pessoas que têm nível superior. A relação entre tabagismo e doenças infecciosas, muitas vezes negligenciada, mas revisada nos documentos da Agenda 2030, é um dos temas de um artigo deste suplemento”, reforça o editorial.


Lançamento do suplemento: A política de controle do tabaco no Brasil: avanços e desafios (Cadernos de Saúde Pública, vol. 33. supl. 3)

Dia 6 de outubro de 2017, das 9h às 12h
Auditório da Fiotec (Av. Brasil, 4036, Manguinhos - Rio de Janeiro – RJ - CEP: 21.041-361)

O suplemento será lançado durante a mesa-redonda Controle do tabaco: novos desafios para o século 21, que será moderada pela pesquisadora do Cetab Silvana Rubano Turci. 

A política econômica e o controle do tabaco no mundo e no Brasil
Jeffrey Drope (United States)

Cigarros eletrônicos e novos dispositivos: uma ameaça ou uma oportunidade para o controle do tabagismo?
Tania Maria Cavalcante (RJ)

Propaganda indireta de tabaco e imagens em programas de TV aberta
Valeska Carvalho Figueiredo (RJ)
 

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.