Brasil
Acesso à Informação

A revista científica mais citada da América Latina, há mais de uma década

Mencionada como referência em mais de seis mil artigos científicos em 2015, a revista Memórias do IOC apresenta aumento sustentado no fator de impacto

16/06/2016
Por Maíra Menezes (IOC/Fiocruz) | Arte: Jefferson Mendes


Com mais de seis mil referências publicadas em artigos científicos, a revista Memórias do Instituto Oswaldo Cruz foi a mais citada da América Latina em 2015, conforme dados divulgados nesta semana pela empresa Thomson Reuters, responsável pelo Journal Citation Reports, relatório que reúne indicadores de relevância das publicações científicas no mundo. Desde 2005, a revista mantém a marca de maior citação. Além disso, Memórias teve, pela terceira vez, um aumento do fator de impacto, alcançando o índice de 1.789. Assim, o periódico fundado em 1909 e publicado pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), passou da 10ª para a 6ª colocação entre as revistas científicas da área de Medicina Tropical no mundo. A publicação também está entre as 20 revistas mais citadas na área de Parasitologia. Na América Latina, ocupa o primeiro lugar no fator de impacto considerando seis campos temáticos: Parasitologia, Medicina Tropical, Doenças Infecciosas, Microbiologia, Imunologia e Bioquímica e Biologia Molecular.

A editora-chefe do periódico, Claude Pirmez, afirma que “embora seja uma avaliação de caráter quantitativo, o fator de impacto indica a valorização dos trabalhos publicados nas Memórias. Significa que muitas pessoas não apenas lêem, mas também usam os dados pubicados na revista nas suas próprias pesquisas. “Publicar ciência bem feita é o padrão que nós buscamos e é resultado do trabalho de todos os editores e dos revisores da revista”, ressalta. O pesquisador Hooman Momen, que também integra o corpo de editores do periódico, comenta que a marca de 6.113 citações é um recorde, que faz com que, além de ser uma das publicações mais antigas, a revista Memórias seja a mais citada da América Latina. "Como toda avaliação estatística, esses indicadores devem ser observados com cuidado. Mas não há dúvida de que eles reforçam a reputação da publicação”, diz.


Como é feito o cálculo?

O total de citações e o cálculo do fator de impacto das revistas científicas são baseados nas citações em artigos científicos e livros indexados na base dados Web of Science, mantida pela Thomson Reuters. O fator de impacto de um periódico é calculado considerando o total de citações registradas em um ano e dividindo pelo número de artigos publicados nos últimos dois anos. Dessa forma, o indicador aponta quantas vezes, em média, os artigos publicados no periódico nos últimos dois anos foram mencionados em outros trabalhos.


Sobre a revista

Criada por Oswaldo Cruz em 1909, a revista Memórias do Instituto Oswaldo Cruz oferece dupla gratuidade, ou seja: tanto para acesso quanto para publicação. Aliando tradição e inovação, o periódico conta com sistema de submissão de artigos online e disponibiliza todo o conteúdo na internet. Os estudos publicados também podem ser acessados em bases de dados internacionais, incluindo PubMed Central e SciELO.

Em março, considerando o contexto da emergência internacional de saúde pública relacionada ao vírus Zika, a revista lançou uma via rápida para submissão de trabalhos, denominada de Zika Fast Track. Assim, as pesquisas sobre o tema submetidas para publicação passaram a ser divulgadas online, num prazo de 24 horas.

Como parte das iniciativas de modernização, a revista aboliu as edições impressas, passando a contar apenas com versão digital. Recentemente, lançou um perfil na rede social Twitter (@MemoriasJournal).

 

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.