Brasil
Acesso à Informação

Jogos Olímpicos e Paralímpicos: a vigilância sanitária em eventos de massa

14/09/2016

Diretor presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) assina editorial do novo número da revista Visa em Debate 

Por INCQS/Fiocruz | Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Abertura dos Jogos Olímpicos (Rio 2016)

 

A edição atual da revista Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia (Visa em Debate) (n. 3, vol. 4) traz 11 artigos, 3 debates e 1 relato de experiência. Tendo em vista a realização das Olimpíadas e das Paralimpíadas 2016 no Rio de Janeiro (Brasil), o editorial trata da crescente atenção que os eventos de massa têm merecido por parte das autoridades públicas. O texto é assinado pelo diretor presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Jarbas Barbosa da Silva Jr., que enfoca a capacidade de resposta do setor saúde nestes eventos. "Isso porque o deslocamento e a concentração de grande contingente de pessoas em Eventos de Massa representam aumento potencial do risco para transmissão de doenças e ocorrência de surtos. Além disso, um evento dessa natureza pode resultar na superação da capacidade usual de resposta dos serviços de saúde existentes na área de influência do evento". 

Além de destacar resoluções da Anvisa que regulamentam e normatizam a prestação de serviços de saúde em eventos de massa, Jarbas comenta sobre o “Guia de Vigilância Sanitária para Eventos de Massa: Orientações para o Gerenciamento de Risco”. Publicado pela Anvisa em 2016, o documento tem o objetivo de apoiar os estados e municípios na sua atuação. "Assim, o Guia caracteriza o modus operandi da Vigilância Sanitária nesses eventos e aponta uma metodologia que demonstra as etapas que devem ser seguidas pelo agente regulador para a realização do evento. Importante reforçar que o SNVS, como um subsistema do Sistema Único de Saúde (SUS), deve seguir a política de saúde e as normas de organização e operacionalização da gestão pactuada entre as três esferas de gestão", escreve no editorial. Ele finaliza o texto, tratando da elaboração do Plano Operativo Integrado para atender às necessidades preparatórias de minimização dos riscos sanitários, em cumprimento às atribuições e responsabilidades inerentes ao SNVS.

Refletindo o vasto campo da vigilância sanitária e a importância deste conhecimento para o Sistema Único de Saúde (SUS) e toda a sociedade, são apresentados diversos temas, entre os quais destacam-se: fosfoetanolaminaatazanavirresistência antimicrobiana; ações de vigilância em laboratórios clínicos e tecnovigilância; agricultura familiar; qualificação da gestão em pequenos municípiosmonitoramento em instituições de longa permanência de idosos. A revista Visa em Debate está aberta a contribuições dos leitores e pesquisadores.

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.