Brasil
Acesso à Informação

HCS-Manguinhos lança nova seção

Revisão historiográfica trará artigos que aprofundam temas selecionados, contribuindo também para que se tornem uma ferramenta educacional para estudantes de pós-graduação, intensificando o processo de internacionalização do periódico

11/10/2017
Por Blog de HCS-Manguinhos

 

Novidades marcam o lançamento da terceira edição de HCS-Manguinhos (vol. 24, n.3, jul-set/2017). Uma nova seção, intitulada Revisão historiográfica, é inaugurada com o artigo Exposições internacionais: uma abordagem historiográfica a partir da América Latina, de Nelson Sanjad, pesquisador do Museu Paraense Emílio Goeldi e professor do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal do Pará. É o que destacam os editores-científicos Marcos Cueto e André Felipe Cândido da Silva, na Carta do Editor: “Ele produziu uma análise elegante, singular, rica e perspicaz, que temos o grande prazer de publicar”. O artigo foi possível graças aos recursos recebidos da Wellcome Trust pela revista há cerca de um ano.

A nova seção trará artigos de revisão historiográfica que proporcionarão uma perspectiva profunda e panorâmica do que foi alcançado sobre temas selecionados e do que precisa ser mais estudado. Espera-se que esses artigos tornem-se uma ferramenta educacional para estudantes de pós-graduação, intensificando o processo de internacionalização da revista, que caminha para o 25° aniversário em 2019.

A necessidade de publicar artigos que façam uma ampla revisão dos achados e debates cruciais do campo de estudo e que melhorem o diálogo com outros públicos além dos historiadores foi uma das questões discutidas no simpósio Os desafios do século XXI para revistas de história da ciência e da medicina, que integrou o 25° Congresso Internacional de História da Ciência e da Tecnologia. No simpósio, realizado em julho, no Rio de Janeiro, foi discutido como, desde os anos 1990, as revistas de história da ciência de diversos países têm enfrentado desafios relativos a sustentabilidade financeira, profissionalização e utilização de mídias sociais.

O 25° Congresso no Rio foi o maior da história da Division of History of Science and Technology da International Union of History and Philosophy of Science and Technology (conhecidas pelas siglas em inglês DHST e IUHPST). Na ocasião, Marcos Cueto tornou-se presidente eleito da Divisão.

Os editores explicam na Carta que, nos últimos anos, uma virada global, ou uma ênfase na circulação transnacional de conhecimento, pessoas e bens materiais, teve forte impacto na história da ciência. Novos códigos, como “história global”, “circulação transnacional” e “provincialização da Europa”, estão substituindo termos usados anteriormente, como “centro” e “periferia”, e alguns argumentam que o “Estado-nação” passará a não ser mais a estrutura de análise. Como pequena contribuição à discussão sobre a virada global, eles propõem algumas perguntas provocativas (saiba quais são).

Além da nova seção Revisão historiográfica, esta edição traz uma coleção de artigos de análise em temas variados, resenhas e notas de pesquisa. Boa leitura!

Sumário

Carta do Editor

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.