Brasil
Acesso à Informação

Hábitos alimentares e ideologias (saudáveis "ou não...")

18/09/2015

Artigo publicado na Revista HCS-Manguinhos mostra como canções de protesto versaram sobre a fome e o consumo durante a ditatdura militar

Por Blog da HCS-Manguinhos


Você traz a Coca-Cola eu tomo
Você bota a mesa, eu como, eu como
Eu como, eu como, eu como
Você

Não está entendendo
Quase nada do que eu digo
Eu quero ir-me embora
Eu quero é dar o fora...


Os trechos acima, retirados da música Você não entende nada (Caetano Veloso), dão o tom das questões abordadas em Fome, comida e bebida na música popular brasileira: um breve ensaio. Publicado nesta edição de HCS-Manguinhos (v. 22, n.3, jul/set 2015), o artigo mostra como as canções de protesto versaram, durante o regime militar, sobre temas como a fome e o consumo de alimentos.

Os autores Francisco de Assis Guedes de Vasconcelos, Mariana Perrelli Vasconcelos e Iris Helena Guedes de Vasconcelos analisaram como a fome e o consumo de alimentos diversos – do nutritivo feijão com arroz à industrializada Coca-Cola – foram tratados em músicas compostas durante a ditadura, de 1964 a 1985, quando emergiram no cenário musical Caetano Veloso, Chico Buarque, Edu Lobo, Geraldo Vandré, Gilberto Gil, Gonzaguinha, Ivan Lins e Milton Nascimento, entre outros grandes compositores. “A ideia foi identificar como a canção de protesto percebeu e retratou elementos do contexto econômico, político e social; como propiciou a difusão de hábitos e ideologias alimentares saudáveis ou não saudáveis; e como contribuiu para a construção da identidade alimentar brasileira”, afirmam os autores.


Veja no YouTube clipes de canções citadas no artigo

* Esta música é do período pós-ditadura. Leia o artigo e saiba por que foi incluída.

 

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.