Brasil
Acesso à Informação

Evento debate as relações entre ciência e sociedade e o anticientificismo no Brasil e no mundo

12/06/2019
Prepare-se para o debate do dia 17/6: leia o editorial da CSP sobre diálogo com a sociedade e sobrevivência da ciência
Por Flávia Lobato e Valentina Leite (Portal de Periódicos Fiocruz)* | Foto: Unsplash

 

No dia 17 de junho, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) promove debate  sobre as relações entre as ciências e a sociedade, a importância da ciência básica, desafios contemporâneos das Humanidades e da História, e a confiança social na ciência. Especialistas no assunto participarão dos Debates Contemporâneos sobre a Ciência. O evento acontecerá no Centro de Documentação e História da Saúde (CDHS), em Manguinhos (RJ), às 9h, e terá transmissão online. Ampliando a reflexão sobre o tema, o Portal de Periódicos Fiocruz destaca o editorial publicado nos Cadernos de Saúde Pública (vol. 35, n. 6, jun/2019). Saiba mais, a seguir.


Ciência renegada

A primeira mesa do seminário vai discutir O valor da ciência, com a participação de Belita Koiller (UFRJ/ABC), Sidney Chalhoub (Harvard University e Unicamp), Luiz Felipe de Alencastro (EESP-FGV e Paris-Sorbonne) e Carlos Gadelha (Fiocruz). O debate será coordenado pelo chefe do Departamento de Pesquisa em História das Ciências e da Saúde (Depes), Luiz Otávio Ferreira (COC/Fiocruz).

Com o tema Os negacionismos e o anticientificismo no Brasil e no mundo, a segunda mesa reunirá Mary Junqueira (USP), Simone Kropf (COC/Fiocruz), Arthur Lima de Avila (UFRGS) e Thiago Nicodemo (Uerj/Unicamp). A mediação será feita por Gisele Sanglard, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde (PPGHCS). 

O evento é promovido pela Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), por meio do Programa de Pós-graduação em História das Ciências e da Saúde (PPGHCS), Departamento de Pesquisa em História das Ciências e da Saúde (Depes) e Observatório História e Saúde e tem o apoio da Sociedade Brasileira de História da Ciência (SBHC) e da Associação Nacional de História - Seção Rio de Janeiro (Anpuh-Rio). Acesse a programação completa. 


Hora de reafirmar o valor da Ciência

Para refletir e ampliar o debate sobre o tema, vale a leitura do editorial publicado nos Cadernos de Saúde Pública (vol. 35, n. 6, jun/2019). Assinado pelas pesquisadoras da Fiocruz Luísa Massarani (Instituto Nacional de Comunicação Pública da Ciência e Tecnologia) e Cristina Araripe (Casa de Oswaldo Cruz), o texto aborda a importância do diálogo com a sociedade para a sobrevivência da ciência brasileira.

Partindo do cenário atual de cortes, que consequentemente enfraquecem a pesquisa e a ciência no Brasil, as editorialistas lembram que "(...) em um passado não muito distante, vimos a Ciência brasileira alcançando patamares respeitáveis no cenário internacional, resultado de políticas de apoio ao setor. Ilustrativo disso é o fato de que o Brasil, no período de 2011 e 2016, ocupou o 13º lugar no ranking mundial de produção de publicações científicas. Embora ainda abaixo da média mundial, o país aumentou em 15% o impacto de citação no período".

Em seguida, elas afirmam que a redução de recursos para o setor expõe o pequeno status dado à ciência no Brasil, citando vários exemplos recentes. Massarani e Araripe destacam o papel dos cientistas no sentido de manter um diálogo direto e constante com a sociedade e os tomadores de decisão, assim como das ações que buscam dar visibilidade à importância da Ciência para o desenvolvimento econômico e social. E retomam o elo com a história. 

"O cenário é desesperador. Mas, também, é uma chamada para a comunidade científica de que não é hora de ficar de braços cruzados. Mais do que nunca, é fundamental realizar ações que aumentem o diálogo entre a comunidade científica e a sociedade. Não é a primeira vez que isso acontece. Na década de 1920, a então comunidade científica embrionária se mobilizou no escopo da Academia Brasileira de Ciência e consolidou uma série de iniciativas de divulgação científica, incluindo a criação da primeira rádio brasileira, para mostrar aos cidadãos comuns e aos tomadores de decisão que a Ciência tinha um papel central a ser evidenciado".

Prepare-se para participar do evento, leia o editorial completo aqui no Portal e reflita!


*Com informações da COC/Fiocruz.