Brasil
Acesso à Informação

Editora Fiocruz é finalista do Prêmio Abeu 2019

22/10/2019

Além de finalista na categoria Ciências Sociais, a Editora também conquistou menção honrosa em Ciências da Vida. Conheça as obras indicadas

Por Marcella Vieira (Editora Fiocruz)


A Editora Fiocruz é finalista do 5º Prêmio Abeu 2019, concedido pela Associação Brasileira das Editoras Universitárias. O livro Clínica, laboratório e eugenia: uma história transnacional das relações Brasil-Alemanha recebeu indicação na categoria Ciências Sociais. De autoria de Pedro Muñoz, o título foi lançado em 2018, em coedição com a Editora PUC-Rio. Além de finalista, a Editora Fiocruz também conquistou menção honrosa na categoria Ciências da Vida com Arquivo de um sequestro jurídico-psiquiátrico: o caso Juvenal, de Luciana Brito. Os vencedores de cada categoria serão conhecidos no dia 22 de novembro, em cerimônia a ser realizada em São Paulo.

A obra de Muñoz concorre com outros dois livros: Escritos de liberdade: literatos negros, racismo e cidadania no Brasil oitocentista (Editora Unicamp) e Joias da Floresta: antropologia do tráfico de animais (Editora da Universidade Federal de São Carlos).


Sobre o livro finalista

Resultado de amplas pesquisas ligadas à tese de doutorado do autor, Clínica, laboratório e eugenia traz importante contribuição para o entendimento das relações entre Brasil e Alemanha numa perspectiva histórica transnacional, que tem como foco os entrelaçamentos e a circulação do conhecimento. 

Enriquecido por material levantado de fontes primárias nos dois países, o estudo investigou as relações no campo da psiquiatria no período de 1900 a 1942, interrompidas pela Segunda Guerra Mundial. Neste período, circularam no Brasil os conceitos da psiquiatria, da neurologia e da psiquiatria genética alemãs. 

O resultado é um livro inovador, que enfoca o trânsito e a circulação dos cientistas em redes construídas em viagens, congressos, cursos e publicações. Pedro Muñoz é mestre e doutor em História das Ciências pela Fiocruz. Seu doutorado contemplou período sanduíche na Alemanha, na Freie Universität Berlin. O autor é graduado em psicologia, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e em história pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). 


Sobre a menção honrosa

Livro que inaugurou a coleção Bioética e Saúde da Editora Fiocruz, Arquivo de um sequestro jurídico-psiquiátrico analisa a história de Juvenal, homem que ficou mais tempo confinado em um manicômio judiciário no Brasil: 46 anos. 

Ao analisar o dossiê de Juvenal, abandonado à espera de uma decisão oficial sobre sua experiência, banido do convívio social e do reconhecimento de direitos, a autora se debruçou sobre arquivos para realizar uma análise das práticas discursivas de saber e poder sobre o homem, revelando o funcionamento de uma "máquina de abandono que confiscou a existência de Juvenal”.

Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília (com período sanduíche na Universidade de Ottawa, Canadá), Luciana Brito é psicóloga e mestre em psicologia clínica e cultura.


O prêmio
 

A premiação foi criada em 2015 pela Associação Brasileira das Editoras Universitárias (Abeu). Segundo a instituição, o objetivo do prêmio é incentivar a qualificação das edições das casas editoriais universitárias, além de fomentar a produção técnico-científica em relação à excelência dos conhecimentos veiculados pelos livros e à concepção estética das obras. 

A edição 2019 engloba oito categorias, sendo três finalistas em cada. A novidade deste ano é a categoria Tradução. A lista completa de indicados e as informações sobre o prêmio podem ser acessadas no site: https://www.premioabeu.com.br/.


Edições anteriores

A Editora Fiocruz vem marcando presença em todas as edições do Prêmio Abeu. Em 2018, o livro Novas e Velhas Faces da Violência no Século XXI: visão da literatura brasileira do campo da saúde, organizado por Cecília Minayo e Simone Gonçalves de Assis, conquistou a segunda colocação na categoria Ciências Humanas. 

Na edição 2017, a Editora conquistou o primeiro lugar em Ciências da Vida com Brasil Saúde Amanhã: população, economia e gestão. Outros dois títulos da Editora se destacaram na mesma categoria: Amamentação e Políticas para a Infância no Brasil: a atuação de Fernandes Figueira (1902-1928) ficou em segundo lugar e Tessituras do Cuidado: as condições crônicas de saúde na infância e adolescência recebeu menção honrosa.

Em 2016, a Editora Fiocruz conquistou novamente primeiro e segundo lugares na categoria Ciências da Vida. Os vencedores foram, respectivamente, os títulos Dengue: teorias e práticas e Três Ensaios de Bioética. No ano anterior, primeira edição do prêmio, a Editora ficou na primeira colocação na categoria Tecnociências com o livro Cidades Saudáveis? Alguns olhares sobre o tema.

 

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.