Brasil
Acesso à Informação

Cadernos de Saúde Pública debate tuberculose e resistência a drogas

14/05/2018

Pesquisadores investigam os fatores associados ao abandono e ao óbito no caso de pacientes com tuberculose, no Rio de Janeiro

Por Valentina Leite (Portal de Periódicos Fiocruz) | Foto: Flickr

Silenciosa, porém violenta. Ainda que fora dos holofotes da mídia grande parte do tempo, a tuberculose é a maior causa de morte mundial por um único agente infeccioso. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2015, a doença atingiu um total de 10,4 milhões de pessoas, das quais 1,4 milhão evoluíram para óbito. Uma das principais causas, preocupação dos especialistas, é a resistência às drogas do tratamento. Este é o tema de artigo publicado, este mês, nos Cadernos de Saúde Pública

O estudo, intitulado Fatores associados ao abandono e ao óbito de casos de tuberculose drogarresistente (TBDR) atendidos em um centro de referência no Rio de Janeiro, Brasil, é assinado pelos pesquisadores Paulo Victor de Sousa Viana, Paulo Redner e Jesus Pais Ramos, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz).

O objetivo dos autores é investigar fatores que estejam associados ao abandono e ao óbito no caso de pacientes com tuberculose, em um centro de referência no Rio de Janeiro. O período avaliado é entre os anos de 2012 e 2013. Segundo o artigo, o fato de a doença ser resistente a múltiplos medicamentos, somado ao número de pacientes desistentes do tratamento, gera um cenário crítico. 

Às vezes resistente, às vezes não

Embora a tuberculose tenha tratamento gratuito e uma alta eficácia de cura, ainda é elevado o número de casos de morte pela doença. É importante ter em mente, no entanto, que a doença pode surgir em mais de uma forma - algumas mais e outras menos agressivas.

Além disso, nem sempre a doença é classificada como drogarresistente. De acordo com o artigo, ela pode (ou não) incluir determinados padrões de resistência a certos fármacos usados durante o tratamento. Os tipos de resistência variam, podendo resistir a um medicamento, a um ou dois ou a vários deles.

Para saber mais, leia o artigo completo!

 

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.