Brasil
Acesso à Informação

As belas e a Ciência

20/04/2016

Artigos, imagens, entrevista e a resenha de um livro para debater a representação da mulher na Ciência com conhecimento histórico

Por Flávia Lobato (Portal de Periódicos Fiocruz) | Foto: Raul Santana (Fiocruz Imagens)


Num momento em que o Brasil debate as representações da mulher — que vão da histeria ao recato nas revistas semanais de grande circulação —, nada melhor do que revisitar a história. O Portal de Periódicos Fiocruz, que sempre abre espaço para debater questões sobre gênero, traz uma seleção de artigos, entrevista, uma análise de imagens e a resenha de um livro sobre o papel das mulheres na Ciência. O material foi publicado pela revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Vale conferir!

Imprensa, gênero e cultura científica na década de 1960: entrevista com Eulina Cavalcante, do jornal News Seller (vol. 22,  n. 4, out-dez/2015)
Entrevista realizada com a jornalista Eulina Cavalcante de Almeida, editora dos suplementos femininos do jornal News Seller (ABC Paulista) na década de 1960. Eulina foi responsável por introduzir questões femininas e científicas para as mulheres leitoras do jornal; tinha na ciência uma das bases para sua escrita e trazia informações científicas, principalmente na área da saúde, para as leitoras. Na década de 1960 houve um aumento no Brasil do letramento científico da população, e a atuação de Eulina ia ao encontro desse movimento. O suplemento feminino do News Seller foi de grande importância para a divulgação científica no ABC Paulista.

Mulheres e trajetórias na Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp: vozes singulares e imagens coletivas (vol. 17,  n.2, abr-jun/2010)
Apresenta resgate histórico e social da trajetória das professoras da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp e suas escolhas pessoais e profissionais, articuladas às suas estratégias sociais. Abordam-se o papel e a posição dessas mulheres no campo acadêmico, como se conformaram seus habiti e como eles se relacionaram com a questão de gênero. A metodologia, qualitativa, baseia-se nos estudos de gênero e da sociologia da ciência e da saúde, com o uso de entrevistas focadas de Merton e da análise de conteúdo de Bardin. As professoras apontaram as representações sociais sobre família, casamento e filhos, a divisão social do tempo do trabalho e a estrutura patriarcal da ciência como elementos de gênero que influenciaram suas trajetórias.

As imagens femininas n'O Vulgarizador: público de ciência e mulheres no século XIX (vol. 15  suppl. 0, 2008)
Este artigo analisa uma série de imagens de mulheres no periódico brasileiro O Vulgarizador, veiculado no século XIX e dedicado à divulgação da ciência no Brasil. A análise das imagens ajuda a perceber questões que permeavam esse tipo de publicação: a presença dos Estados Unidos como modelo de progresso e desenvolvimento industrial; a relevância das Exposições Internacionais; as transformações da sociedade brasileira; e a adequação do papel feminino nesse processo.

Divulgando a visibilidade das mulheres na ciência (vol. 15,  suppl. 0, 2008)
A professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Maria Conceição da Costa, assina resenha sobre o livro História das mulheres cientistas”, do engenheiro francês Eric Sartori, da École Supérieure de Physique et Chimie. O livro trata da participação das mulheres na história do pensamento científico desde a Antiguidade até o século XX.

Mais mulheres na ciência: questões de conhecimento (vol. 15,  suppl. 0, 2008)
Apresenta considerações, no contexto norte-americano, de teorias e práticas sobre a busca de igualdade para a participação das mulheres nas ciências. Equaciona o desenvolvimento dessas discussões em três níveis de análise: participação das mulheres na ciência; gênero nas culturas da ciência; e gênero nos resultados da ciência. Enfatizando a importância de continuar reunindo exemplos empíricos de como a análise de gênero transformou a teoria e a prática de campos disciplinares como as ciências da vida, primatologia e arqueologia, considera a necessidade de prosseguir na construção de quadros de referência de análise de gênero para outras áreas disciplinares como física e química.

 

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.