Brasil
Acesso à Informação

Artigos destacam a importância da saúde dos povos indígenas

14/11/2018

Em um cenário de possíveis cortes de direitos da população indígena, leia mais sobre atenção à saúde destes povos em edição dos Cadernos de Saúde Pública

Por Valentina Leite (Portal de Periódicos Fiocruz) | Foto: Flickr

 

Seis em cada dez brasileiros desaprovam a redução de áreas destinadas às terras indígenas, aponta uma pesquisa recente do Datafolha, realizada em dezembro de 2018. O número é significativo pois, em 1º de janeiro de 2019, o presidente Jair Bolsonaro transferiu a tarefa de demarcar as terras indígenas para o Ministério da Agricultura - função até então exercida pela Fundação Nacional do Índio (Funai). 

Neste cenário de possíveis e preocupantes cortes de direitos da população indígena, o Portal de Periódicos Fiocruz lembra a importância da atenção à saúde destes povos. Confira, na íntegra, artigos publicados nos Cadernos de Saúde Pública (vol. 34, n.10, out/2018) que discutem o tema da saúde indígena.
 

Tutela estatística? Pontos de vista indígenas em relação aos dados produzidos sobre eles

Coletânea de textos que apresenta discussões travadas em torno da questão da aquisição de uma soberania de dados pelos povos indígenas. Com grande parte dos capítulos elaborados por autores indígenas, destaca a importância da apropriação de estatísticas produzidas sobre eles mesmos. Também participaram membros de organizações voltadas à defesa dos índios. O objetivo é repensar os dados sobre os indígenas, construindo informações que sejam realmente significativas para eles. 

Validade de uma escala de resiliência (RESI-M) em mulheres indígenas do México

Na literatura não existe um instrumento que considere a resiliência desde uma perspectiva cultural indígena ao respeito das mulheres - portanto, este estudo teve como objetivo avaliar a validade e confiabilidade das pontuações obtidas com esta escala, a serem aplicadas em mulheres de origem indígena. A mostra foi integrada por 180 participantes, pertencentes a diversas municipalidades indígenas do México, onde foi aplicada a Escala de Resiliência Mexicana (RESI-M) de Palomar Lever & Gómez Valdez 2010.

Deficiências visual, auditiva e motora entre a população indígena no Brasil

Doenças infectoparasitárias, doenças crônicas, questões nutricionais, saúde bucal, uso de álcool e drogas, suicídio e, recentemente, na mortalidade. De uma maneira geral, a situação das condições de saúde dos povos indígenas em relação à população não indígena é extremamente desfavorável no Brasil. Este estudo buscou descrever a prevalência de deficiências visual, auditiva e motora e estimar a chance de se ter uma das três deficiências, separadamente, segundo grau de severidade, para a população indígena brasileira.

 

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.