Brasil
Acesso à Informação

Artigo traz uma avaliação da atenção primária à saúde realizada por usuários e profissionais

11/03/2019

Os Cadernos de Saúde Pública destacam o tema da atenção primária em toda a sua edição de fevereiro

Por Cadernos de Saúde Pública (CSP)

 

Como as pessoas estão avaliando a atenção primária à saúde? Um artigo publicado pelos Cadernos de Saúde Pública (vol.35, n.2, fev/2019), traz uma avaliação da atenção primária à saúde (APS) prestada às crianças, que mostrou que os usuários deram melhores notas aos serviços da área rural do que aos da área urbana. O oposto foi registrado entre os profissionais da área.

Entre as explicações possíveis, os autores destacam que os profissionais com qualificação específica para atuação na APS eram, em sua maioria, do Programa Mais Médicos e estavam concentrados na área rural. Ressalta-se também que essas comunidades ficaram totalmente desassistidas por muitos anos, de modo que esse atendimento, mesmo que intermitente, pode gerar maior satisfação nos usuários.

O objetivo do artigo foi avaliar o grau de implantação dos atributos da atenção primária à saúde (APS) como indicador da qualidade da assistência prestada às crianças. Para isso, os autores realizaram um estudo transversal em um município de médio porte de Minas Gerais (MG), Brasil. Foram entrevistados 707 cuidadores de crianças de 0 a 4 anos (498 da área urbana e 209 da área rural) e 22 profissionais das equipes de saúde da família, utilizando o Primary Care Assessment Tool, o critério Brasil de classificação socioeconômica e um questionário elaborado pelos pesquisadores.

Foram calculados os escores dos atributos da APS a partir da opinião de usuários e profissionais. O teste de Mann-Whitney foi utilizado para comparar os resultados das áreas urbana e rural. Na opinião dos profissionais, os componentes com maiores escores foram “sistemas de informação” e “orientação familiar”. Já para os usuários, os componentes melhor avaliados foram “sistemas de informação” e “utilização”, e os pior avaliados foram “integração de cuidados” e “serviços disponíveis”. 

Quer saber mais? Acesse o artigo completo, aqui pelo Portal de Periódicos Fiocruz.

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.