Brasil
Acesso à Informação

Ciência aberta: acesse o e-book da Associação Brasileira de Editores Científicos

29/10/2019
Com textos livres, publicação trata dos impactos do movimento na criação e na disseminação da informação científica. Acesse já!
Por Leandro Rocha (Abec Brasil)

 

A Associação Brasileira de Editores Científicos (Abec) lançou o e-book Ciência Aberta para Editores Científicos. A obra, organizada por Milton Shintaku e Luana Sales, enfoca o mesmo tema que foi o centro das reflexões do ABEC Meeting 2019, realizado entre os dias 17 e 20 de setembro, em Fortaleza (CE).

O livro é resultado do desafio apresentado pelo Compromisso pela Ciência Aberta, apresentando pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), no marco seis, que visa a articulação com os editores científicos brasileiros. Nesse sentido buscou textos livres, sem uma linha editorial fechada, seguindo o próprio tema da ciência aberta, em que estudiosos estão trilhando novos caminhos.

São 12 textos apresentando aspectos da ciência aberta que possui relação direta ou indireta a editoração científica, com autores convidados pela atuação em diversas atividades e instituições. Com isso, buscou-se a pluralidade do tema, apresentando aspectos diversos, visto que a Ciência Aberta tem impacto em processos científicos tradicionais. 

Segundo o presidente da Abec, Rui Seabra, a iniciativa faz parte do compromisso da Abec Brasil com o tema, expressando o compromisso de articular ações com os editores científicos, inserir palestras em seus eventos, divulgar notícias em seus canais de comunicação social e produzir conteúdo que estimulem e divulguem a  importância da Ciência Aberta. “A importância desta obra é fundamental na atualização dos editores e de seu staff editorial, face a um movimento que abre as ciências e impacta diretamente em todo o processo de criação e disseminação da informação científica”, completa.

O secretário da Abec, Milton Shintaku — um dos organizadores da publicação —, lembra que a entidade é uma referência em publicações de qualidade e na realização de eventos, estando sempre atenta às tendências mundiais. “Este livro é resultado desse compromisso com o governo e com editores, e visa trazer o estado da arte nas discussões envolvendo a editoração científica mundial, no que se trata de ciência aberta".

Cadernos abertos, publicações líquidas e novas tecnologias

Associado a este tema, o Portal de Periódicos Fiocruz, destaca o artigo Cadernos abertos de laboratório e publicações líquidas: novas tecnologias literárias para uma Ciência Aberta. Publicado pela Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde (Reciis, vol. 11, sup., nov/2017), o artigo apresenta resultados de pesquisa sobre o conceito e práticas de caderno aberto de laboratório, inovação criada no âmbito do movimento contemporâneo pela Ciência Aberta.

Para o arcabouço teórico, as autoras Anne Clinio e Sarita Albagli adotam a noção de cultura epistêmica e a perspectiva das “três tecnologias” de Shapin e Shaffer. Já no campo empírico, adentram no “laboratório aberto”, através de pesquisa documental. Elas identificam que a inovação não é uma melhoria incremental, mas uma nova “tecnologia literária” para um novo modo de produzir e comunicar ciência — que se fundamenta na transparência e na proveniência dos dados. Vale a leitura: acesse o artigo e saiba mais!